2019

Cinema para Escolas

Um extenso e diverso programa para o público escolar, com dez sessões, divididas entre os auditórios da Casa das Artes, dos Agrupamentos de Escolas, do ACE – Escola de Artes de Famalicão (para alunos de Teatro), da OFICINA - Escola Profissional do Instituto Nun'Alvares (para alunos de Audiovisuais e Multimédia) e da Universidade do Minho, direccionadas para todos os escalões etários, incluindo propostas de animação e de documentário, sessões comentadas e oficinas e uma masterclasse de Pedro Serrazina. Sessões que ambicionam estender-se para lá da sala de projecção e enriquecer os currículos da escola, em diálogo com a restante programação do Close-up, sob o tema do Tempo, com destaque, também, para as histórias do cinema francês, com filmes de Agnès Varda e Jean-Luc Godard. (VR)

Veneno

de Sacha Guitry
17-10 15h00
(ACE - Escola de Artes de Famalicão)
La Poison (França, ficção, 1951, 80 min) M/12

Depois das perseguições injustas que Guitry sofreu no fim da Segunda Guerra (foi preso por algum tempo, sem nunca ter culpa formada), uma certa amargura e um certo cinismo vieram colorir quase todos os seus filmes, tomando o lugar dos jogos com a representação e da elegância que caracterizam grande parte da sua obra. E La Poison é certamente um dos filmes mais negros e cáusticos do seu período final, realçado pela interpretação de um dos seus actores predilectos, Michel Simon. Trata-se da história de um homem que consegue ludibriar um advogado de modo a assassinar a mulher e ser absolvido. Diante deste filme, é difícil não pensar na famosa frase de Guitry à sua mulher, na festa do seu último casamento: "Ah, estas mãos, que hão de fechar os meus olhos e abrir as minhas gavetas!".

Duas Horas na Vida de uma Mulher

de Agnès Varda
14-10 14h30
(Universidade do Minho, no Instituto de Letras e Ciências Humanas - GAPS)
Cléo de 5 à 7 (França, ficção, 1962, 85 min) M/12

"Cléo de 5 à 7" é um dos melhores filmes de Agnès Varda, e certamente um dos que melhor exprime um "espírito Nouvelle Vague"; de resto as deambulações parisienses da sua personagem principal não deixam de evocar "À Bout de Souffle", como se Cléo fosse um contraponto feminino ao filme de Godard (que, por sua vez, aparece num curioso "filme no filme").

Mur Murs

de Agnès Varda
17-10 10h00
(GA)
Presença de Tânia Leão
sessão para escolas (3.º ciclo, secundário)
(França/EUA, documentário, 1981, 65 min) M/12

Mur Murs é um documentário sobre os murais em Los Angeles. Quem os pinta…? Quem olha para eles…? Quem os paga…? Como é que a capital do cinema se revela sem ilusões através dos seus muros murmurantes. Quem fala? As pessoas de Los Angeles. A quem? A uma curiosa realizadora francesa.

O Acossado

de Jean-Luc Godard
15-10 10h00
(GA)
sessão para escolas (3.º ciclo, secundário e audiovisuais)
À Bout de Souffle (França, ficção, 1959, 85 min) M/12

Ao lado de "Les 400 Coups", o outro grande "filme-símbolo'' da Nouvelle Vague, e também o primeiro sinal de que, como escreveu Serge Daney, este novo cinema não só não se contentava em sacudir o "antigo" como ameaçava, literalmente, destrui-lo. "À Bout de Souffle" é um dos filmes que melhor ilustra as consequências práticas e teóricas dos postulados da Nouvelle Vague, fazendo "explodir" o cinema para depois o reinventar. A primeira longa-metragem de Godard resultava, por si mesma, num nos momentos mais decisivos de toda a história do cinema.

Fantasia Lusitana

de João Canijo
14-10 19h30
(Agrupamento de Escolas D. Sancho I)
Presença de João Canijo
ensino nocturno
(Portugal, documentário, 2010, 65 min) M/12

Um documento com imagens de arquivo e testemunhos de alguns dos milhares de refugiados que, na década de 40, durante a fuga da Europa nazi, usaram Portugal como ponto de passagem. João Canijo faz uma análise sociológica de um país que se recusou a admitir o que se passava no resto do continente, vivendo numa espécie de fantasia e isolamento moral, como se nada lhe dissesse respeito. Este é um documentário sobre, segundo as próprias palavras do realizador, "os dois níveis de realidade em Portugal, o mundo em guerra e a fantasia do país neutral, o mito criado por Salazar". Esta sessão será exibida no âmbito do Plano Nacional de Cinema.

Raposa Manhosa e Outras Histórias

de Patrick Imbert, Benjamin Renner
15-10 15h00
(GA)
sessão para escolas (1.º e 2.º ciclos)
Le grand méchant Renard et autres contes... (Belgica/França, animação, 2017, 95 min) M/6

Era uma vez uma quinta onde reinava o sossego e o contentamento. Mas, como nada é perfeito, neste lugar os animais eram um pouco dados a desvarios. Ali, entre tantas coisas incomuns, havia uma raposa pouco astuta que se esforçava – sem sucesso – por assaltar o galinheiro, um lagarto fluente em mandarim, uma galinha hiperactiva, um coelho crente que era uma cegonha e um pato que se queria fazer passar por Pai Natal...Realizado por Benjamin Renner ("Ernest e Célestine") e pelo estreante Patrick Imbert, uma comédia de animação para os mais pequenos, repartida em três pequenas histórias que adaptam "Le Grand Méchant Renard” e "Un Bébé à Livrer”, banda desenhada da autoria do próprio Renner.

Oficina "Quanto Tempo tem o Tempo no Cinema"

16-10 10h00
(PA)
Presença de Ana Luísa Oliveira e Sara Santos
sessão para escolas (3.º ciclo e secundário)

A oficina de cinema pretende explorar a os conceitos do tempo cronológico, o da ação, versus o tempo da narrativa, partindo de cenas da curta-metragem documental A Ver o Mar. Nesta oficina, os participantes vão ter noções sobre a importância da duração do plano, da sequência de imagens, e da “manipulação do tempo” através da montagem, que permite avanços e recuos temporais. O objetivo é que os jovens consigam desenvolver as suas capacidades criativas e técnicas através de um exercício prático no qual vão experimentar a noção de passagem do tempo.

Oficina "Roda Viva - Os Brinquedos ópticos da pré-história do Cinema"

16-10 15h00
(Escola Básica Vale do Este)
Presença de Ana Luísa Oliveira e Sara Santos
alunos do 1.º ciclo

A oficina pretende explorar a pré-história do cinema e a importância dos brinquedos óticos na perceção da imagem em movimento. A partir da construção de um destes mecanismos - zootrópio, taumatrópio, flipbook ou folioscópio - , pretende-se dar a conhecer a história do pré-cinema, ao mesmo tempo que se revela o mecanismo que permite ‘animar’ imagens. O objetivo é que as crianças e jovens consigam desenvolver as suas capacidades criativas e técnicas, assim como ampliar a perceção do principal elemento caraterizador do cinema: o movimento. Sem a utilização de câmaras, cada grupo irá criar pequenos filmes utilizando somente materiais recicláveis e muita imaginação!

Masterclasse e Carta Branca de Pedro Serrazina (20 Anos da Agência da Curta Metragem)

18-10 10h00
(OFICINA - Escola Profissional do Instituto Nun'Alvares)
Presença de Pedro Serrazina
(alunos de audiovisuais e multimédia)

Sessão no âmbito da celebração dos 20 anos da Agência da Curta Metragem, com uma masterclasse de Pedro Serrazina e uma carta branca, com a selecção de curtas de outros realizadores.

Pedro Serrazina estudou arquitetura, que nunca exerceu, para se dedicar ao cinema de animação. A sua última curta Os Olhos do Farol combina personagens desenhadas com mar real e cenários pintados em tela, e foi premiada internacionalmente em mais de uma dezena de festivais. Estória do Gato e da Lua, o seu primeiro filme, estreou no festival de Cannes em 1996 e ganhou 15 prémios internacionais. Em 1996 mudou-se para a Inglaterra para tirar um curso de mestrado no Royal College of Arts. Desde então tem combinado uma carreira académica com trabalho criativo em várias áreas: Pequenas Estórias Sem Importância, livro de ilustrações e contos, complementou performance para crianças no Teatro do Campo Alegre, Porto (2006), e uma instalação na galeria a9))) em Leiria (2011) são alguns exemplos. Foi diretor do curso de licenciatura em Animation Arts na University for the Criative Arts, Maidstone, e é professor convidado da Universidade Católica do Porto e da Universidade Lusófona de Lisboa.

Mr. Link

de Chris Butler
18-10 15h00
(GA)
sessão para escolas (2.º e 3.º ciclos) | versão legendada
(EUA/Canadá, animação, 2019, 95 min) M/6

Apresentamos o Mr. Link: dois metros e quarenta, 290 quilos e coberto de pelo. Mas não se deixem enganar pelas aparências. Ele é divertido, simpático e adoravelmente literal, o que faz dele a lenda mais cativante do mundo. Farto de levar uma vida solitária, no Noroeste do Pacífico, Mr. Link recruta o audaz explorador Sir Lionel Frost para o guiar numa viagem em busca dos seus primos, há muito perdidos, no mítico vale de Shangri-La. Juntamente com a aventureira Adelina Fortnight, o destemido trio de exploradores enfrenta perigos incontáveis, enquanto viaja até aos confins do mundo para ajudar o seu novo amigo. Mr. Link é a mais recente produção de um dos inovadores estúdios de animação em stop motion, a Laika.