Filmes-Concerto e Sessões Especiais

Na sessão de abertura, na passagem pelo Teatro Narciso Ferreira e numa sessão para famílias, o Close-up mostra propostas de cruzamento entre imagens em movimento e a música: pelos Sétima Legião (a abrir o concerto que celebra os 40 anos da banda), pelo projeto East Atlantic e uma criação da ACERT; na sessão de encerramento, a adaptação de A Sibila, de Agustina Bessa-Luís, realizada por Eduardo Brito.

Noite de Abertura Filme-Concerto por Sétima Legião

Sétima Legião - 40 anos

Dia 14-10 21h45 (GA)
(80 min) M/6

A Sétima Legião regressa aos palcos, 40 anos depois do arranque da sua particular história que é, justamente, uma das mais celebradas do pop rock nacional. Estes espetáculos servem também para homenagear Ricardo Camacho, produtor e teclista do grupo desaparecido em 2018. Neste regresso, a Sétima Legião de Pedro Oliveira (voz e guitarra), Rodrigo Leão (baixo e teclas), Nuno Cruz (bateria, percussão), Gabriel Gomes (acordeão), Paulo Tato Marinho (gaita de foles, flautas), Paulo Abelho (percussão, samplers) e Francisco Menezes (letras, coros) acolhe também João Eleutério, experimentado músico que tem corrido mundo como parte da banda de Rodrigo Leão e que agora assegurará os teclados. Foi em 1982 que a Sétima Legião surgiu no então agitadíssimo panorama musical português, apresentando uma visão singular da música sintonizada com as experiências mais avançadas da pop alternativa da época, mas sem esquecer a identidade portuguesa. A banda deixou uma marca vincada na produção musical nacional dos anos 80 e 90. Com estes concertos de aniversário, a Sétima legião pretende revisitar os seus mais aplaudidos clássicos e dar nova vida a temas como «Sete Mares» ou «Por Quem Não Esqueci».

A abrir o concerto, a Sétima Legião, em resposta a uma encomenda da Casa das Artes, musicará em estreia “Um Tesoiro” (1958, 14 min), uma curta-metragem de António Campos, numa das suas incursões pelo mar, pelos lugares e pelas gentes que lidavam com a faina da pesca.
A cedência do filme “Um Tesoiro” resulta de uma parceria com a Cinemateca Portuguesa e o projeto FILMar - Digitalização do Património Cinematográfico.

Filme-Concerto por José Alberto Gomes e Miguel C. Tavares

East Atlantic

Dia 18-10 21h45 (Teatro Narciso Ferreira)
(50 min) M/6

East Atlantic é um filme concerto que explora a ficção e o documentário que une o arquipélago dos Açores com o mar. José Alberto Gomes e Miguel C. Tavares apresentam uma performance ao vivo através de uma viagem marcada por um ambiente imersivo, abstrato e incerto. Inspirados pela viagem de Raúl Brandão ao arquipélago açoriano em 1924, Miguel C. Tavares e José Alberto Gomes viajaram durante 10 dias a bordo do navio de carga "Corvo", partindo de Lisboa e passando pelas ilhas de São Miguel, Faial, Terceira, Flores e Pico. Com "East Atlantic" apresentam a criação de uma peça audiovisual em formato filme-concerto que traduz esse imaginário em imagens e sons, tendo como temática o arquipélago açoriano e a sua condição insular. Num espaço híbrido entre o documentário e o objecto artístico, o trabalho explora e representa o carácter dicotómico insular, tanto sedutor e atraente como prisioneiro e claustrofóbico.

Música e Sonoplastia: José Alberto Gomes
Vídeo: Miguel C. Tavares

Filme-Concerto por ACERT

FILMUS 2

Dia 21-10 15h30 (GA)
(50 min) M/6

"A imagem é tanto mais bela quanto ela for auditiva, evocando sonoridades do momento."
Mia Couto in Pensatempos

A fusão de uma sessão de cinema com o universo televisivo permitirá reavivar memórias, reviver momentos que estavam no baú do esquecimento. Associada à imagem, a música (interpretada ao vivo com componente teatral) terá um papel essencial na viagem ao encontro dessas memórias. A mistura do filme com a realidade permitirá criar uma visão narrativa que só quem assistir poderá levar consigo. No seguimento do sucesso do espetáculo estreado em 2010, Fil’Mus2 mantém o mesmo conceito de fusão da imagem gravada, em muitos momentos realizada especificamente para o espetáculo, com todos os sons executados ao vivo e ainda com mais interação teatral com as imagens e inovações que tornarão o espetáculo inesquecível.

Ficha Técnica e Artística
Acordeão: Nuno Silva
Contrabaixo: Miguel Cardoso
Guitarra: André Cardoso
Percussão: Rui Lúcio
Saxofones: Rodrigo Neves
Conceção e direção artísticas: Miguel Cardoso
Coordenação teatral: Pompeu José e José Rui Martins
Composição musical “A Dog’s Life”: Rui Lúcio
Arranjo musical “Sinkin’ in the bathtub”: Manuel Maio
Outros arranjos: Miguel Cardoso
Animações “Fil’mus animados”: Tiago Sami Pereira
Vídeo: Zito Marques
Som: Luís Viegas
Desenho luz: Paulo Neto
Desenho Gráfico: Zé Tavares
Fotografia: Carlos Teles e Rui Coimbra
Figurinos: Coletivo
Costureira: Sandra Rodrigues

Noite de Encerramento

A Sibila

de Eduardo Brito

Dia 21-10 21h45 (GA)
Presença de Eduardo Brito e elenco
(Portugal, ficção, 2023, 80 min) M/12

Adaptação do romance homónimo de Agustina Bessa-Luís publicado em 1954, A Sibila assinala o centenário do nascimento da escritora. O filme centra-se na trajetória, intrigas e conspirações de duas gerações da família Teixeira entre o final do século XIX e meados do século XX. À semelhança da obra literária, a narrativa é contada em analepse por Germa na Casa da Vessada, propriedade no Norte de Portugal que herdou da tia — Joaquina Augusta Teixeira, a sibila. É a primeira longa-metragem de Eduardo Brito que, a par do seu percurso como realizador, tem trabalhado como argumentista de filmes de Paulo Abreu, Manuel Mozos e Rodrigo Areias. Com a interpretação de Maria João Pinho, Joana Ribeiro, Raimundo Cosme, Simão Cayatte, Sandra Faleiro, João Pedro Vaz, Diana Sá, Emília Silvestre, Ricardo Vaz Trindade, Marcello Urgeghe e Ana Padrão. O trabalho de Eduardo Brito esteve em destaque no episódio 4 do Close-up (Outubro de 2020), onde para lá de uma rectrospetiva do seu trabalho como realizador e guionista, estreou Ursula, uma encomenda do Observatório de Cinema.